Aconteceu em São Paulo na quinta-feira (8/8) o Fórum Sim à Igualdade Racial 2019, promovido todos os anos pela equipe do Instituto Identidades do Brasil (ID_BR), com uma programação recheada de painéis e debates abordando diferentes questões da luta por igualdade racial, como inclusão e oportunidades para profissionais negros no mercado de trabalho, empreendedorismo, empoderamento financeiro, consciência política, contribuições da tecnologia para a inclusão e narrativas antirracistas no audiovisual. A programação contou ainda com shows e a presença de ativistas e personalidades ligadas à causa, compartilhando suas histórias, além da presença de empresas, sendo a Aegea um dos destaques.

A Aegea contou com um estande para interagir com o público, apresentando os pilares do seu projeto de igualdade racial, Respeito Dá o Tom, e também aproveitou a ocasião para montar um banco de currículos de candidatos negros. Além disso, Hamilton Amadeo, CEO da companhia, teve a oportunidade de participar do painel “Raça e Mercado de Trabalho”, ao lado de Eduardo Santos, CEO da Education First, e Daniela Falcão, Diretora da EGCN (Vogue, Casa Vogue, GQ e Glamour), com a mediação de Luana Génot – fundadora do ID_BR e autora do livro “Sim à Igualdade Racial – Raça e Mercado de Trabalho”.

Na ocasião, Amadeo falou sobre as ações que a Aegea tem implementado com o apoio consultivo do ID_BR, a fim de promover o debate, sensibilizar novos atores para o movimento em prol da igualdade racial dentro e fora da empresa. Além disso, contou como a empresa vem buscando aprimorar suas políticas internas para ampliar as oportunidades de carreira para profissionais pretos ou pardos, para que o quadro de colaboradores da companhia reflita a diversidade étnico-racial de cada uma das cidades onde opera o saneamento.

Já Beatriz Raymundo – que lidera o programa Respeito Dá o Tom dentro da empresa e coordena as atividades pelos comitês regionais, que são focados na condução dos debates e ações junto os funcionários – participou do painel promovido pela 99.Jobs, em que as empresas contavam com um minuto e meio para apresentar as oportunidades oferecidas à profissionais negros e convencer o grande público presente a se interessarem pelas respectivas companhias.

“As empresas devem ter um papel ativo nessa mudança. A Aegea quer cada vez mais contribuir com a causa, ouvir e aprender com pessoas engajadas e compartilhar suas experiências, contribuindo cada com o aumento dessa rede de mobilização pela causa da igualdade racial”, ressalta Hamilton Amadeo.

Share Button

Os comentários estão fechados.