Empresa investiu mais de R$ 500 milhões no ano passado para ampliar cobertura de saneamento básico nas cidades onde atua.

Em 2017, a Aegea realizou o maior volume de investimentos de sua história. Foram R$ 527,2 milhões, ultrapassando a média dos últimos anos, de R$ 400 milhões. Neste montante está incluso o pagamento da outorga para prestação dos serviços de água e esgoto de Teresina (PI), município no qual a companhia começou a operar em julho passado.

Além de Teresina, a Aegea também passou a operar, em 2017, concessões em Vila Velha e Serra, ambas no Estado do Espírito Santo, e os resultados financeiros positivos são reflexo da chegada da companhia a novas cidades e à evolução da performance das operações já existentes. No quarto trimestre do ano passado, a Aegea teve crescimento de quase 55% na receita líquida, atingindo R$391,1 milhões, e aumento de mais de 100% no EBITDA em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, totalizando R$161,8 milhões.

Entre os indicadores que demonstram o ganho de produtividade nas unidades da companhia estão a diminuição no índice de perdas na distribuição de água e o avanço da eficiência energética. Houve redução do consumo unitário de energia em 8,9%, considerando o mesmo período de 2016, e o índice de perdas na distribuição de água atingiu 38%, uma redução de 0,4 pontos percentuais. Este último é impactado pelo início das operações das concessionárias novas, que apresentam taxas superiores às concessões existentes, nas quais a Aegea realiza esforços para a mitigação dos desperdícios. Considerando as unidades onde a empresa já atua, este índice atingiu 33,7% no 4º trimestre de 2017, 2,5 pontos percentuais menor em comparação com o 4º trimestre de 2016.

O investimento da companhia em programas voltados para a redução das perdas de água e consumo de eletricidade contribuiu para o avanço desses índices e são referência de inovação no setor. Além de contar com uma equipe especialmente treinada para detectar irregularidades em todas as redes, a Aegea possui um núcleo pioneiro, com sistemas integrados e específicos, que realiza o monitoramento da água e do consumo de energia no processo de distribuição suas concessionárias, de forma centralizada, remota e em tempo real.

O desempenho da companhia também foi reconhecido em premiações que aconteceram no ano passado. A operação da Aegea em Serra (ES) recebeu menção honrosa no Prêmio PPP Awards & Conference, promovido pela Radar PPP, devido ao expressivo avanço da cobertura de esgotamento sanitário, superando a obrigação contratual de 70% e alcançando o total de 90%.

A entrada da Aegea no mercado internacional com a emissão de Bonds, no valor de US$400 milhões, realizada em outubro do ano passado, também garantiu flexibilidade de caixa para investimentos futuros e abriu mais uma fonte de captação de recursos, além de ter atestada a confiança dos investidores no seu modelo de negócios e na sua capacidade de execução. Ao fim de 2017, o saldo de caixa da Aegea e aplicações financeiras registraram valor de R$1,1 bilhão, cerca de 12 vezes superior aos vencimentos da dívida no curto prazo.

“Devido à sua diversificação de fontes de financiamento e consequente solidez financeira, a Aegea deve permanecer estável e continuará contribuindo, cada vez mais, para ampliar o acesso à água limpa e à coleta e tratamento de esgoto”, destaca o Vice-Presidente de Finanças e Relações com Investidores da Aegea, Flavio Crivellari.

Share Button

Os comentários estão fechados.