O Dia Internacional Contra a Corrupção, celebrado em 9 de dezembro, serviu de mote para uma programação especial com todas as concessionárias da empresa

Aquele fornecedor antigo, com quem temos um ótimo relacionamento, deu um presente de Natal. Tudo bem aceitar? Outro ofereceu, sem custo algum, brindes para a Semana de Prevenção de Acidentes. Tem algum problema? Para responder estas e outras perguntas comuns no dia a dia de seus colaboradores, a Aegea Saneamento lançou um gibi para tratar, de forma leve e rica em ilustrações, possíveis dilemas éticos do cotidiano. Intitulado “Compliance: Convívio com a Ética”, o material traz personagens de diversas áreas da empresa vivendo situações em que alguns de seus comportamentos são postos em xeque.

O material, que já começou a ser distribuído para os colaboradores, serviu de base à toda a programação pensada para marcar o Mês de Combate à Corrupção – em alusão ao Dia Internacional Contra a Corrupção, celebrado no último dia 9. Para além da revistinha, os personagens ganharam vida e protagonizaram dois vídeos, nos quais a corrupção e suas consequências são o pano de fundo para tratar do Código de Conduta Aegea e o Canal de Ética, no site da companhia.

Os vídeos foram divulgados via e-mail para todos os colaboradores da Aegea e estão sendo exibidos nas ações programadas para as concessionárias. Eles também ficarão disponíveis na Academia Aegea e serão utilizados na integração de novos funcionários. De acordo com a gerente de Integridade da Aegea, Tamara Willmann, até o fim de janeiro terão sido realizadas ações em todas as 50 cidades em que a Aegea está presente.

A ideia, segundo ela, é tratar, de forma didática, situações que podem se apresentar aos colaboradores no exercício de suas funções, de quaisquer níveis. “Percorrer as concessionárias apresentando o material e debatendo o assunto foi a forma que encontramos para chegar a todos os colaboradores”, ressalta Tamara. “Todos recebem o gibi impresso e podem dividir o conteúdo com amigos e familiares”.

Ela conta que a escolha dos casos representados se deu a partir das dúvidas que chegam e de estatísticas da área de Integridade. “Queremos gerar uma identificação com situações reais e transmitir as regras contidas no Código de Ética, revisado recentemente”, explica Tamara, que adianta: “A repercussão tem sido tão positiva que já estamos pensando em uma segunda edição do gibi, com mais personagens, em 2018”.

Share Button

Os comentários estão fechados.