Fenômeno, recorrente nesta época do ano, será identificado e monitorado por grupo de especialistas

Devido ao reaparecimento de micro algas verdes na Praia das Palmeiras em Cabo Frio, fenômeno recorrente nesta época do ano, a Prolagos reuniu um grupo de especialistas formado por técnicos das áreas de esgoto e meio ambiente da empresa, uma pesquisadora da comunidade acadêmica da Região dos Lagos e um representante da Colônia de pescadores Z4, para discutir este fenômeno, que vem chamando a atenção da população do município. O grupo prepara um estudo sobre a questão, com o objetivo principal de identificar e monitorar as causas do surgimento das algas nesta época do ano.

A Prolagos realiza vistorias diárias nos sistemas de coleta e tratamento de esgoto em todos os municípios da área de concessão, e nenhuma obstrução ou qualquer alteração na rede coletora de esgoto do local foi detectada. A partir do estudo, que consiste no levantamento de dados para identificação do estado ecológico da lagoa, será possível definir as causas que incidem nesse trecho da laguna, tais como ausência de corrente, o que impede a circulação das águas, presença de chuvas, alta temperatura da água e/ou lançamentos clandestinos de esgoto.

A primeira etapa do estudo será entregue à Prolagos no prazo de 45 dias. As análises preliminares das microalgas e os primeiros dados, como temperatura, nutrientes e maré permitirão à concessionária a elaboração de Índice de Avaliação Ecológica.

A concessionária conta com o Centro de Controle Operacional (CCO), que possibilita em tempo real, 24 horas por dia, o monitoramento dos sistemas, e atualmente coleta e trata 77,14% do esgoto produzido em sua área de concessão, o que evita que 80 milhões de litros de esgoto sejam lançados diariamente nas praias, rio e lagoas da região.

Share Button

Os comentários estão fechados.