Investigadores e peritos papiloscopistas em formação na Academia de Policia Civil de Mato Grosso do Sul participaram nesta sexta-feira (09) de uma palestra sobre abastecimento, funcionamento dos hidrômetros e os principais tipos de irregularidades praticadas nas ligações de água. O assunto foi apresentado no auditório da Acadepol, em Campo Grande, por dois técnicos da Águas Guariroba: a gestora de combate a perdas da empresa, Suellen Alves Alvarenga, e pelo gestor de micromedição,  Júlio César Ramires de Souza.

Segundo o delegado Devair Aparecido Francisco, coordenador de planejamento e orientação pedagógica da Acadepol, cerca de 190 alunos participaram do treinamento. Ele conta que a iniciativa de convidar as concessionárias de água, energia, e outras empresas suscetíveis a serem vítimas de fraudes é uma inovação. O objetivo é que os alunos estejam mais preparados para atender ocorrências de irregularidades quando estiverem atuando nas delegacias. “Muito mais que o combate à fraude, nós estamos combatendo uma sonegação. Imagine o tanto de tributos que deixam de ser recolhidos pelo estado e revertidos em prol da própria população. Além disso, existe uma questão legal. É obrigação da polícia civil apurar todas as infrações penais”, explica.

“Além da injustiça com quem paga, as irregularidades também prejudicam o fornecimento de água da cidade e podem causar contaminação”, afirma a gestora de combate a perdas da Águas Guariroba,  Suellen Alves Alvarenga. Durante a palestra, a técnica explicou como funciona o trabalho da concessionária para garantir água tratada no município, que conta com um dos sistemas de abastecimento mais eficientes entre as capitais brasileiras. “Aqui, o índice de perdas na rede de distribuição é de 19%, muito menor que a média nacional, que chega a 37%. O combate às irregularidades nos hidrômetros e nas ligações é fundamental para melhorar esse indicador ainda mais e evitar uma crise hídrica no futuro, como aconteceu em muitos lugares do Brasil”, explica. Hoje a água tratada chega a 99,7% da população de Campo Grande.

Os futuros peritos e investigadores também conheceram os tipos de hidrômetros utilizados para medir o consumo de água nos imóveis e as principais irregularidades praticadas para danificar ou fraudar o aparelho. O processo de notificação e comprovação das irregularidades também foi detalhado durante a palestra. “Temos um laboratório onde realizamos os testes nos medidores. As análises são acompanhadas e atestadas por um técnico do Inmetro”, destacou o gestor de micromedição da Águas Guariroba, Júlio César Ramires .

O acadêmico Ricardo Alexandre Prado de Vasconcelos, investigador de polícia em formação, considerou a palestra muito instrutiva. “Tive algumas informações que eu não tinha antes sobre a como as pessoas fazem esse tipo de furto”, aponta. “Se chegar a uma residência e encontrar uma situação que foi apresentada aqui, a gente já vai saber que tem alguma coisa errada”.

Share Button

Os comentários estão fechados.