A companhia, uma das maiores do mercado privado, apresenta em seu estande o Centro de Controle Operacional, sistema que opera em todas as concessionárias do Grupo, monitorando em tempo real os serviços de água e esgoto 

A Aegea, companhia privada de saneamento básico, participa da 11ª Feira Internacional de Tecnologias de Saneamento Ambiental – Fitabes, que acontece no Riocentro até quarta-feira, 7 de outubro. Realizada a cada dois anos, a Feira é o principal evento do setor e reúne centenas de profissionais a cada edição.

No seu estande, a Aegea instalou o Centro de Controle Operacional (CCO) da Prolagos (concessionária de cinco municípios na Região dos Lagos – RJ). O CCO é uma tecnologia de gestão para monitoramento em tempo real das redes de água e esgoto. A vantagem do sistema é possibilitar o ajuste fino da gestão, além de permite fazer reparos remotamente. Na concessionária, o sistema está instalado em uma sala com computadores e telões, onde técnicos controlam 24 horas por dia os níveis dos reservatórios nos bairros e o funcionamento dos equipamentos.

Paralelamente à Fitabes, acontece o Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental.  Na segunda-feira, 6, o diretor da Aegea para o Rio de Janeiro e presidente da Prolagos, Carlos Roma, participou do painel “Presidentes de Companhias de Saneamento: reflexos sobre os desafios do setor de saneamento frente à crise hídrica”. A mesa contou com a presença dos presidentes Jorge Briard (CEDAE); Jerson Kelman (SABESP); Sinara Meirelles (COPASA); Roberto Tavares (COMPESA); Arly de Lara Romêo (SANASA) e Flávio Presser (CORSAN).  A moderação foi feita pelo presidente nacional da ABES, Dante Regazzi Pauli.

No painel Roma foi o único representante da iniciativa privada e falou das parcerias entre o público e o privado como uma das soluções para o desenvolvimento do saneamento no Brasil. O presidente da Prolagos destacou ainda os pilares de atuação da Aegea e suas concessionárias: forte governança corporativa, com práticas consolidadas de transparências; uso de tecnologia; gestão focada em eficiência e diálogo com a sociedade.

Nos trabalhos técnicos, o trainee da Aegea na Águas de São Francisco do Sul, Renee Câmara Chaveiro, apresentou o projeto “Avaliação de espécies do cerrado como agentes coagulantes no tratamento de efluentes domésticos”. A pesquisa foi iniciada quando ainda era estudante de Engenharia Ambiental da PUC Goiás. “Como se planta eucalipto para a indústria, poderia se plantar espécies do cerrado para o saneamento e trabalhá-las comercialmente”, disse. Para Chaveiro, a alternativa é benéfica ao meio ambiente, pois, atualmente as árvores do cerrado utilizadas na pesquisa, entre elas, o angico vermelho já não são encontradas facilmente.

Share Button

Os comentários estão fechados.