Na contramão de outras regiões do país, que ainda sofrem com a falta de água, a represa de Juturnaíba, que abastece a Região dos Lagos, está com níveis animadores.

Na contramão do país, Juturnaíba está com água para dar e vender: Manancial que abastece a região não corre risco de secar.

Nícia Carvalho – Folha dos Lagos

Ao contrário do que ocorre com a maioria dos mananciais de água doce no país, principalmente em São Paulo, a represa Juturnaíba tem água para dar e vender. O reservatório, que abastece cinco cidades da Região dos Lagos, está com volume aceitável de água, com pouco mais de oito metros, e não há risco de racionamento por conta da forte estiagem dos últimos meses. A informação é da Prolagos, concessionária que administra a represa.

Segundo a Prolagos, o nível ideal é acima de oito metros, mas o manancial se manteve estável no último mês e teve variação considerada normal. O valor médio da cota do nível de água da represa em janeiro foi de 8.30 metros, ou seja, 1,42% abaixo da média do mesmo período do ano passado, quando o volume era de 8,42.

Em fevereiro foi registrado um volume de chuva de 110 milímetros na barragem, igual ao do mesmo período do ano passado. A capacidade total do manancial de Juturnaíba é de 100 de metros cúbicos, volume apontado pela concessionária como suficiente para condições prolongadas de falta de chuva, como o que vem acontecendo atualmente no País.

Na região, a empresa abastece os municípios de Armação de Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia. O manancial abastece ainda as cidades de Araruama, Saquarema e Silva Jardim por meio da concessão Águas do Brasil. De acordo com a Prolagos, a capacidade de tratamento e distribuição de água da concessionária é de 1500 l/s.

Share Button

Os comentários estão fechados.