O trabalho começou em 2010, com a segregação de ativos e estruturação de um Conselho. Depois disso foram formados cinco comitês: Finanças, Auditoria e Gestão de Riscos, Pessoas, Regulação e o de Avaliação de Projetos, até que em 2011 realizasse a due diligence e contratação de financiamento junto ao IFC. Hoje a Aegea Saneamento tem capital social de R$ 900 MM e está presente em 32 municípios de seis estados brasileiros. Administradora de concessões públicas é a mais nova associada Abrasca.

“Temos um modelo regulatório diferente de concessões das empresas tradicionais de saneamento. Nós atuamos dentro de um modelo mais parecido com o de concessões de rodovias, o que nos permite maior liberdade”, explica Yaroslav Neto, responsável pela área de Relações com Investidores. E essa liberdade tem um (bom) preço, elevando a 9 os múltiplos da companhia, contra 6 das tradicionais.

A Aegea Saneamento é a holding de saneamento do Grupo Equipav, gerindo 28 SPEs. Em 2012 realizou road shows em busca de um sócio do exterior (para se somar ao Equipav e ao IFC, que detém 2,5%). Despertou o desejo do Fundo Soberano de Cingapura, que aportou R$ 300 milhões no ano passado. Convidou o profissional Luiz Spinola como conselheiro independente e entrou com pedido de registro de companhia aberta na CVM. Este acaba de ser aceito e o mercado de dívida já pode ser acessado.

O valor de captação não está definido, mas a companhia deverá lançar debêntures ainda neste ano. E o IPO?

“Ainda não temos a data fechada para o IPO, mas em 2016 a companhia já estará pronta para tal”, comentou Yaroslav, destacando que a geração de valor ao acionista é algo que está no DNA da Aegea Saneamento.

Fonte: Abrasca

Share Button

Os comentários estão fechados.