A Aegea, holding de saneamento do Grupo Equipav, conseguiu este mês financiamento de R$ 283 milhões para investir em saneamento nas concessionárias Prolagos (RJ) e Águas Guariroba (MS). Os recursos foram obtidos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES – e à Caixa Econômica Federal. Para a Prolagos, que atua na região dos Lagos, o financiamento foi feito pelo BNDES. Os R$ 123 milhões serão aplicados no saneamento básico nos municípios de Búzios, Cabo Frio, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia e Arraial do Cabo e beneficiarão quase meio milhão de pessoas. O montante é equivalente a 75% dos investimentos que serão realizados pela concessionária até 2016. Os demais R$ 41 milhões serão aportados pela própria empresa, totalizando R$ 164 milhões de investimentos. Com estes novos investimentos, o índice de cobertura em coleta e tratamento de esgotos nos municípios atendidos pela concessionária pulará dos atuais 71% para 80% e o de abastecimento de água de 91% para 94%, em 2018.

Para a Águas Guariroba, concessionária de água e esgoto de Campo Grande, MS, o financiamento de R$ 160 milhões foi obtido pela Aegea junto à Caixa Econômica Federal. O valor é equivalente a 94% dos investimentos que serão utilizados pela concessionária até o final de 2014, para obras de abastecimento de água, esgotamento sanitário, controle e redução de perdas. A contrapartida de R$ 10 milhões será aportada pela própria concessionária, totalizando R$ 170 milhões de investimentos que beneficiarão mais de 800 mil pessoas. Só na ampliação do serviço de coleta e tratamento de esgotos serão investidos R$ 115,5 milhões nos próximos dois anos. Entre as principais obras, destacam-se a implantação de 160 quilômetros de rede coletora; a execução de 13.166 ligações domiciliares que irão beneficiar mais de 40 mil pessoas; a construção de três estações elevatórias de esgoto e 24.802 metros de coletores tronco e interceptores (tubulações de grande diâmetro que recebem o esgoto coletado e fazem o transporte até uma estação de tratamento). Com estes novos investimentos, o índice de cobertura de coleta e tratamento de esgotos sairá dos atuais 65% para mais de 70% da população em 2014.

Fonte: Valor Econômico

Share Button

Os comentários estão fechados.