Piracicaba está entre os 28,2% dos municípios que possuem Política Municipal de Saneamento Básico, segundo pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que traça um perfil dos municípios brasileiros, o Munic. A política abrange abastecimento de água, esgoto sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo de águas pluviais urbanas.

O plano tem diagnóstico da situação da prestação de serviços públicos de saneamento básico e de seus impactos nas condições de vida da população local; objetivos e metas de curto, médio e longo prazo; e programas, projetos e ações necessárias para atingir os objetivos e metas propostos. A importância do plano está relacionada à necessidade de diagnosticar o andamento do setor de um município, essencial para manutenção da qualidade de vida, de acordo com o IBGE.

Piracicaba tem feito uma série de medidas em relação ao saneamento básico. Uma das últimas foi à parceria público-privada com a Águas do Mirante, que passa a administrar a parte de esgoto do município. A empresa deve realizar uma diversas melhorias no atual sistema, com destaque para a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) do Piracicamirim.

Pela primeira vez, a Munic do IBGE investigou a infraestrutura de saneamento existente nas cidades. Apenas 28,2% (1.569) dos municípios do País possuíam Política Municipal de Saneamento Básico em 2011. Das políticas específicas, 48,9% (768) compreendiam um Plano Municipal de Saneamento Básico, e 48,4% (759)tratavam da forma de prestação dos serviços e/ou definiam o prestador.

A pesquisa constatou que 60,5% (3.368) dos municípios não executavam qualquer acompanhamento em relação às licenças relativas ao abastecimento de água, esgotamento sanitário e/ou drenagem e manejo de águas pluviais urbanas. Também verificou-se que em 47,8% (2.659) dos municípios não há órgão responsável pela fiscalização da qualidade de água.

Coleta

Piracicaba tem programa de coleta seletiva, iniciativa que está ausente em 42,7% dos municípios brasileiros. Do total de municípios, 32,3% (1.796 municípios) possuem programa, projeto ou ação de coleta seletiva de lixo em atividade, ao passo que em 3,3% (184) há projeto-piloto de coleta seletiva de lixo e 19,2% (1.070) sem programa, mas com projeto ou ação de coleta seletiva de lixo em elaboração.

Fonte: Gazeta de Piracicaba

Share Button

Os comentários estão fechados.