Em busca de prestar o melhor atendimento aos clientes, a Águas Guariroba, empresa do Grupo Equipav responsável pelos serviços de água e esgoto de Campo Grande, mantém postos de atendimento no Procon e no Juizado Central da Capital. Somente em 2012 as duas unidades atenderam mais de 5,7 mil clientes. Destes, cerca de 90% conseguiram um acordo com a concessionária sem precisar iniciar processos na Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor ou no Poder Judiciário.

Segundo o gerente comercial da Águas Guariroba, Waldyr Vilanova, manter o atendimento nestes órgãos é importante principalmente porque uma parcela dos consumidores busca o Procon ou o Juizado mesmo antes de solicitar atendimento na concessionária. O resultado da do projeto foi a redução do índice de reclamações. “Esta parceria, aliada a outros investimentos na melhoria do atendimento ao cliente, fez com que a Águas Guariroba saísse das primeiras colocações do ranking do Procon. Já estivemos entre as três empresa com maior índice de reclamações e hoje estamos em 42º lugar”, avaliou.

No atendimento do Procon, a Águas Guariroba recebeu a solicitação de 3.446 clientes, conforme balanço do ano. Deste total, somente 80 reclamações foram geradas junto ao órgão de defesa do consumidor, ligado à Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas). De acordo com a coordenadora de gestão de processos do Procon, Eliete Maria Joerke, a iniciativa de disponibilizar o atendimento da concessionária dentro do prédio do órgão estadual faz parte das ações do projeto Procon Perto de Você. “Esta parceria é muito positiva porque é mais uma tentativa para que o consumidor resolva o seu problema junto com à Águas Guariroba. Se ele não conseguir êxito é aberto um processo normalmente aqui no Procon”, comenta a coordenadora.

No Juizado Central de Campo Grande, o balanço anual apontou que o atendimento recebeu 2.313 clientes. Deste total, 97% firmaram acordo com a empresa. “Esta parceria com a Águas Guariroba foi de grande valia, estamos satisfeitos com os resultados desta proposta, eles têm sido alcançados”, comenta a coordenadora do Juizado de Campo Grande, Joanice Siebert. “Primeiramente a pessoa busca o acordo. Se não houver este acordo nós fazemos uma atermação aqui no juizado. Mas geralmente os acordos são feitos. Acredito que a tendência desta parceria é só melhorar tanto para população quanto para o próprio poder judiciário”, conclui.

Fonte: A crítica de Campo Grande – MS

Share Button

Os comentários estão fechados.